OEA E BELO MONTE

Republico aqui a reportagem abaixo que relata o restabelecimento da normalidade no processo de instalação da hidrelétrica de Belo Monte, alvo de mal entendido da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) da Organização dos Estados Americanos (OEA), provocada que foi por Ong´s nacionais e internacionais de direitos humanos atuantes no Brasil.

Projeto da Usina Belo Monte
A quem interessa condenar a construção de usinas hidrelétricas, fonte geradora de energia limpa, mais barata e de poucas restrições? Por que as mesmas reações não são exercidas antes ou durante a construção de usinas termoelétricas ou de usinas nucleares? Certamente existem interesses econômicos externos em jogo, e os direitos humanos de alguns indígenas, já em fase de atendimento, estão a servir de pretexto nesta história.

Assista ao vídeo: http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=JhYd48tQav4

Localização da Usina Belo Monte
Belo Monte e a OEA
Autor
Alberto Porém Júnior

Depois do fato esclarecido a OEA deu a resposta correta ao assunto Belo Monte, mais uma bandeira midiática capitaneada por Miriam Leitão que naufraga. Mas esta notícia você só encontrará em rodapés e cantinhos...

OEA volta atrás sobre Belo Monte

Comissão de Direitos Humanos pedira suspensão da obra da usina em abril
Autora: Eliane Oliveira
BRASÍLIA.

Sem fazer alarde, o Palácio do Planalto saboreia, há um mês, uma importante vitória no processo de instalação da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no Pará. A Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) da Organização dos Estados Americanos (OEA), que há cinco meses havia baixado uma medida cautelar pedindo ao governo brasileiro que suspendesse o empreendimento, enviou uma carta à presidente Dilma Rousseff se retratando e pondo um ponto final no impasse.

A revelação foi feita ontem ao GLOBO pelo especialista em segurança pública da OEA, Adam Blackwell. Ele está em visita ao Brasil desde o último domingo, conversando com autoridades brasileiras sobre desarmamento e processos de pacificação de favelas. — Esse assunto está encerrado para nós. Creio que o que houve foi falta de informação dos integrantes da comissão — disse Blackwell, acrescentando que a medida cautelar foi retirada no dia 1o de agosto.

Especialista da OEA espera melhora nas relações

A medida cautelar — que despertou a ira do Palácio do Planalto e teve como consequência a divulgação de uma dura nota do chanceler Antonio Patriota — foi publicada para atender a comunidades indígenas representadas por Organizações Não Governamentais (ONGs). Patriota chegou a chamar a Brasília o embaixador do Brasil em Washington junto à OEA, Ruy Casaes, em uma demonstração de descontentamento.

Foi a primeira vez que as pressões contra Belo Monte ultrapassaram a fronteira, e uma comissão da OEA tentou interferir diretamente no processo de construção da hidrelétrica. Se a CIDH mantivesse sua posição e o Brasil não cumprisse a determinação, o país poderia ser julgado pela Corte Interamericana de Direitos Humanos e, numa hipótese tida como improvável por técnicos do governo e especialistas, em última instância seria expulso da OEA.

Ao receber o comunicado sobre a medida cautelar, o governo brasileiro enviou uma carta à CIDH com informações técnicas a respeito do processo de licenciamento para a construção da hidrelétrica. A comissão argumentava que as comunidades indígenas não foram ouvidas. Além de enviar uma resposta sobre Belo Monte baseada em critérios técnicos à CIDH, o governo brasileiro retirou a candidatura de Paulo Vannuchi para representante do país na comissão, no lugar de Paulo Sérgio Pinheiro. Foi encaminhada uma carta ao secretário-geral da OEA, José Miguel Insulza.

— Vencida essa etapa, vamos melhorar ainda mais nossas relações — afirmou Blackwell. Ele, que é canadense, esteve no Rio no início da semana, onde conheceu algumas favelas pacificadas, como as do Complexo do Alemão. Em Brasília, conversou com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, sobre a possibilidade de o Brasil transmitir aos vizinhos sua experiência no processo de desarmamento no país.

Do portal Luis Nassif Online: http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/belo-monte-e-a-oea#more

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

PEÇA JUDICIAL: CONTESTAÇÃO TRABALHISTA OAB (2015.2) – MODELO DE RESOLUÇÃO

PEÇA JUDICIAL: CONTESTAÇÃO TRABALHISTA OAB (2015.3) – MODELO DE RESOLUÇÃO

PEÇA JUDICIAL: AÇÃO TRABALHISTA DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO – MODELO DE RESOLUÇÃO